segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

:: DRM Adobe versus Apple ::

Você já comprou algum livro digital?

Para quem ainda não comprou e quem já comprou, e, possivelmente teve alguma dor de cabeça ao transferir seu eBook para mais de um dispositivo de leitura, principalmente os da Apple, fique atento para algumas informações.

Proteção contra pirataria

O formato mais comum utilizado no livro digital, ou eBook, é o ePub. Este formato, possui dezenas de vantagens comparado ao PDF, como o tamanho do arquivo final, a adaptação do texto às mais variadas resoluções e tamanhos de tela, segurança etc.

Quando se fala em segurança, isso significa que o formato ePub possui um sistema de criptografia de informação, chamado de DRM (Digital Rights Management - gerenciamento de direitos autorais). O DRM permite que o arquivo encriptografado seja lido em apenas um tipo de eReader e para apenas um único usuário. Ou seja, o DRM limita toda a versatilidade que um eBook poderia ter, apenas para controlar a segurança de distribuição e compartilhamento do arquivo.

Para exemplificar a ação do DRM em um eBook: se um eBook é comprado pelo aplicativo iBooks do iPad, o DRM embutido neste arquivo impedirá que o leitor leia o eBook no Sony Reader, B&N Nook, mesmo que estes eReaders suportem o formato ePub.

No Brasil, apesar do merdado de livros digitais estar apenas começando, podemos dizer que as principais empresas que trabalham com conversão e comercialização de livros digitais, como a Simplíssimo, Gato Sabido e Saraiva, utilizam o DRM da Adobe. Todo o processo de criptografia e controle de acesso dos eBooks são feitos por meio dos servidores da Adobe. Porém, devido à questões mercadológicas o DRM da Adobe não funciona nos produtos da Apple.

Um livro comprado com o DRM da Adobe não pode ser lido no iBooks, por exemplo. Desta forma, as empresas brasileiras acharam uma "solução" para este empasse. Cada empresa comercializadora de eBooks no Brasil criou seu próprio aplicativo eReader que está disponível para download gratuito na App Store.

A solução parece eficaz, mas há ainda que salientar que como a grande maioria dos eBooks feitos no Brasil possuem o DRM da Adobe, os aplicativos eReaders das empresas que comercializam esse material, são baseados no Adobe Digital Editions, aplicativo eReader da Adobe. Eventualmente, pode acontecer de você comprar um eBook pelo aplicativo da loja, e, não conseguir efetuar o download devido ao conflito DRM x Apple. O DRM entende que você está tentando baixar o eBook na plataforma da Apple mas não entende que está utilizando um aplicativo baseado no Adobe Digital Editions. E erros como estes abaixo podem acontecer:



Como usuário/leitor, não há muito o que fazer nestes casos, sendo necessário reportar o erro à empresa que comercializa e gerencia o eBook com DRM, e aguardar uma atualização do aplicativo afim de solucionar a falha de comunicação dos dados.

Por outro lado, existem outros aplicativos gratuitos, que conseguem ler, sem nenhum problema, um ePub com DRM da Adobe no iPhone e iPad.

Se você já passou por um problema parecido com os erros ilustrados acima, sobretudo utilizando o iPhone/iPod Touch ou o iPad, então siga o procedimento abaixo:

1. Baixe e instale o aplicativo BlueFire Reader (www.bluefirereader.com);
2. Utilize um computador PC para fazer o download do ePub;
3. Abra o iTunes e sincrone o arquivo ePub dentro do aplicativo BlueFire Reader.

Para os leitores que estão estão migrando para o livro digital, pode parecer um grande bicho de sete cabeças todo esse texto, mas a verdade é que, enquanto houver DRM, haverá conflitos entre plataformas e eReaders. E o intuito deste artigo é tentar esclarecer algumas possíveis falhas que podem acontecer e que o SAC dessas empresas ainda não estão preparados suficientemente para explicar ao cliente a solução do problema de forma eficaz.

Agradecimento especial ao Ricardo Minoru, por ter sido solícito e prestativo ao me ajudar a solucionar alguns problemas e que me inspirou a escrever este artigo, repassando o conhecimento sobre o assunto!

3 Opiniões:

Anônimo disse...

Excelente post! - esclarecedor.

Ainda não possuo leitor de eBooks, mas obter um é inevitável.

Ainda que no Brasil essa "onda não tenha chagado com força", creio que haverá um "boom" de leitores digitais muito em breve.

Pelo que me parece, está em jogo "bilhões e bilhões" de dólares na disputa desse recente filão do mercado editorial!

------------
Eu acostumei a pegar os livros com a mente e ler com "as mãos", também.
Gosto de senti-los, folheá-los, ficar íntimo deles.

Com o digital terei apenas contato mental, portanto, será uma relação fria e com poucas vibrações.

Mas, é tendência e não há escapar!

Não sabia praticamente nada sobre este assunto, até ler este teu artigo.
Fiquei mais animado para discutir sobre o "epubs" com algumas pessoas!

Parabéns pelo artigo!

Anônimo disse...

O Márcia, não sei se com outras pessoas ocorreu, mas comigo o link que você passa aqui, não flui.

Dá para entrar no site normalmente, mas não pelo link que nos passa!

Fabio Mascarenhas disse...

Oi Marcia, Na realidade DRM pode e é usado em PDFs, ePubs e até em mp3. Não é um sistema de criptografia exclusivo do ePub. E comprando um livro digital com DRM vc pode ler este mesmo livro em até 5 dispositivos diferentes ao mesmo tempo desde que todos estejam "logados" com o mesmo usuário.
E também é possível emprestar esses livros para um amigo ou familiar através do Adobe Digital Editions.